Home Quem somos Espiritismo Nossos Cursos Programação mês
Home
Quem somos
Espiritismo
Nossos Cursos
Programação mês
Reunião Pública
Passes
Atendimento
O que é o ESDE
Estudos da DE
Grupo de pais
Grupo Juventude
Grupo Infância
Artigos
Notícias CEERJ
Efemérides
Pesquisa
Consulte-nos




ietbtarfeiros

Julio Cesar de Sá Roriz escreve

HISTÓRICO DAS DUAS INSTITUIÇÕES ESPÍRITAS: IETB E TAREFEIROS





 

TAREFEIROS


É, atualmente, a marca do Centro Espírita Tarefeiros do Bem, que também significa acolhimento e despertamento dos espíritos que nos procuram nos dois planos da existência, material e espiritual.

A nossa característica se faz presente através de nossas atuações doutrinárias e administrativas: na boa maneira de tratarmos o que chegam aflitos e sobrecarregados e na relação saudável mantida entre os trabalhadores da Casa.





ACOLHER E DESPERTAR

Acolher e despertar são o binômio inseparável de nossa atuação terapêutico-doutrinária, a ação cristã-espírita falando mais alto que nossas palavras. E isto, paralelamente ao constante estudo das obras de Kardec e obras subsidiárias, sempre na busca da coerência doutrinária.

Somos uma associação civil sem fins lucrativos, de caráter religioso que tem como propósito maior a divullgação e a prática do espiritismo.


 

BREVE HISTÓRICO

Possuimos um histórico: experiências coletivas bastante amplas, constantemente estruturadas na busca de um espaço físico para bem funcionarmos e de um espaço doutrinário no Movimento Espírita, sem perdermos a nossa singularidade. Conseguimos isto, somente em 2013, ou seja:15 anos após a fundação da IETB.


Eis, ao lado, a foto do primeiro embrião. Registro de uma reunião informal do grupo que estava disposto à  realizar uma tarefa socorrista denominada PASSE AQUI, que ocorria todos os dias da semana, às 6h30min da manhã, para o atendimento ao trabalhador comum da sociedade, aquele que carecia ouvir o Evangelho Segundo o Espiritismo, antes mesmo de ir para o labor diário.



Eram 25 trabalhadores, cinco em cada dia da semana, preparando a atividade socorrista, que aconteceu durante o ano de 1995. Esta equipe precisou de um preparo de 8 meses, para apurar o conhecimento doutrinário, nivelar conhecimento e prática do passe espírita e, principalmente, bem receber os trabalhadores. O C. E. Seara Fraterna registrou em suas Atas e o semanário SEI noticiou.

 


Estávamos todos no Centro Espírita Seara Fraterna. Resolvemos, então, começar uma nova instituição espírita para que pudéssemos, nela, manter um sentido mais coletivo das decisões, com a menor escala decisória possível, desburocratizada e, ao mesmo tempo, buscando fazer foco na convivência entre os próprios irmãos de ideal. Para que isto fosse possível, constituímos algumas pequenas células de possibilidades doutrinárias aos que estivessem dispostos a servir ao próximo de modo desinteressado, à luz do espiritismo.

                                                                                                                                               
                                                                                                                                                  

Durante nossos trabalhos doutrinários, fomos crescendo a quantidade de trabalhos e, aos poucos, fomos também constituindo slogans que, por si mesmos, demonstravam  o estágio em que nos encontrávamos no desenvolvimento de nossa Casa Espírita. O primeiro foi:  "“É bom estar aqui!"”; depois, passou a ser: “"Se a Casa Espírita for boa para nós; será boa para os que nos procuram!"”; e, por fim: “"Você também faz parte desta família!"”. Estas frases ficaram estampadas nas salas de conferências, por onde passaram muitas pessoas na divulgação do Espiritismo na sua fonte kardequiana.

 

Com o tempo, passamos a perceber que, se não tomássemos cuidado, alguns incautos poderiam confundir a seriedade singela e a educação com negligência. Começamos, então, a proceder com maior rigor no aprofundamento doutrinário e nos treinamentos dos coordenadores das atividades doutrinárias. Afastamos de vez qualquer aproximação de atividades equivocadas, que pudessem nos cinfundir com um clube de recreação; um consutório de psicologia ou de psiquiatria; uma casa que só poderia ser dirigida por psicólogos espiritas; uma universidade de ensinos de conteúdos espíritas.

 

Deste modo, marcamos significativamente o nosso território: firmamos a nossa  maneira de ser dentro da seara espírita, de acordo com o o que  kardequiano, de modo tal que, o nosso como  também pudesse ser coerente com o nobre o que  doutrinário.

 


A assinatura da ata de fundação da IETB.

A busca de uma sede.

A captação de recursos humanos para a tarefa espírita.

 

Há marcas do tempo: um histórico de passagens memoráveis, tais como

 

A IETB - Instituição Espírita Tarefeiros do Bem foi a matriz do TAREFEIROS - Centro Espírita Tarefeiros do Bem. Durante 15 anos, a IETB prestou serviços doutrinários à comunidade, através de reuniões sérias e instrutivas que abrangeram os seguintes âmbitos:

 

Reuniões Públicas, Reuniões Mediúnicas. As Atividades de Autoconhecimento à luz do Espiritismo, peças espíritas e Eventos que foram realizados em diversos locais públicos, auditorios e teatros, dentro e fora da capital do Rio de Janeiro.
 
        
 

Depois de longos anos de funcionamento informal em CIEPs, escola particular, residências e lugares diversos, a IETB firmou-se no endereço Rua Voluntários da Pátria, 185, fundos, e depois também na sala 302, em Botafogo.

 

Alugados em nome da Coordenadora de Administração e Controle da IETB (Gilka de Sá Roriz) que utilizava de seu prestígio pessoal e de sua vantajosa situação profissional para conseguir, para IETB, a viabilzação do aluguel no citado imóvel.

                                                                                          


Firmado o documento particular de uso, Gilka emprestando-nos este espaço para uso exclusivo da IETB, com autorização do proprietário. Ela bancou por muitos anos as despesas que ultrapassaram as nossas reservas, reservas essas que foram  utilizadas até acabar e que foram arrecadadas nas peças teatrais que havíamos encenado.

 

Tínhamos, à época, uma restrita estrura administrativa, era tudo muito compatível com a precariedade das instalações físicas que, apesar de pequenas, nos deram a oportunidade de nos desenvolvermos nas áreas doutrinárias mais significativas que, até hoje, estão em funcionamento na nova sede da Rua Mena Barretro, 110, em Botafogo. 

 


sedeietbDurante 8 anos, realizamos reuniões doutrinárias da IETB, na Voluntários da Pátria, 185 fundos e sala 302. Capturamos, neste período, uma verdadeira “massa crítica” de trabalhadores do bem que foram chegando e foram se capacitando, agregando esforços no sentido de manter a nossa Casa Espírita no seu ideal de bem servir à população.

 



Nesta necessária peneirada na captura de trabalhadores com potenciais para o serviço do bem e com valores morais, colhemos grandes amigos trabalhadores que até hoje estão conosco na tarefa do espiritismo. 
Destacaram-se aqueles que podiam, depois de longo e planejado treinamento, servir nas coordenações doutrinárias da Casa. Destes, surgiram os líderes, aqueles que possuiam condições de ombrear conosco como coordenadores gerais de serviços coletivos.

 

Assim, nós funcionamos, como se fôssemos, na verdade, um amplo centro de treinamento de trabalhadores do bem. Criamos, então, o primeiro matricial coordenativo, tendo como eixo as seguintes coordenadorias na IETB: 

Coordenador Geral de Doutrina ( Julio Cesar de Sá Roriz), Coordenador Geral de Treinamento e Capacitação de Tarefeiros (Ana Tereza Camasmie), Coordenador Geral de Administração e Controle ( Gilka de Sá Roriz).

 

Como apoio administrativo e financeiro da organização, tínhamos um pequeno comitê de Tarefeiros que, estatutariamente, homologavam as decisões dos três coordenadores gerais da iETB.  Este Comitê era composto dos coordenadores gerais acima e era suplementado pelos seguintes associados efetivos: Eunice Silveira Sá Roriz, Angela Pierina Saddy, Ana Rosa Galego Corrêa, Guilherme Corrêa, Maria Arlette Saddy e Neide Moscatel.

 


fundacaoietb2
Havia uma advogada, amiga, irmã e espírita, diretora do CE Seara Fraterna, Diana Neves de Farias que, acompanhada de seu marido e, também, diretor do Seara fraterna, Jader Farias, tornou-se uma grande colaboradora da IETB. Ambos assinaram as atas de Fundação da IETB, recepcionando-nos em sua própria residência para execução deste ato inicial da organização, sem fins lucrativos, que aparecia para o mundo em 05 de fevereiro de 1997. O casal, portanto, foi também fundador, reunindo em seu lar os primeiros membros do COMITÊ para a assinatura da primeira reunião formal da IETB.  

A filha de Jader e de Diana,  Danielle Neves de Farias, também assinou a primeira ata como secretária da reunião e ela foi a arquiteta que realizaou, juntamente com o pai, o projeto e a execução da obra de adaptação e reforma da sede da Rua Voluntários da Pátria 185, fundos. A nossa sala ficou linda. 




Não mais reuniríamos em residências, escolas emprestadas. Tudo, graças ao bom gosto da Danielle, a assessoria jurídica de Diana, o “mestre de obra” Jader, a presença financeira da Gilka, a disposição pedagógica de Ana Tereza e a nossa Visão de porvir doutrinário.



Com o tempo, outros espíritas foram chegando e algumas saindo...

 

Com a saída espontânea de Ana Rosa e seu marido Guilherme Corrêa, ambos abriram mão da condição de associados efetivos e fundadores da IETB ( havia outro fundador Francisco Barros que fez o mesmo, um  pouco antes). IETB permaneceu com um pequeno número de asssociados efetivos que sempre funcionou como ComItê, estatutariamente autorizado a homologar as decisões das três coordenadorias administrativas e doutrinárias da IETB.

  

 

IETB encerrou sua trajetória e agora é Centro Espírita Tarefeiros do Bem.

Após 15 anos de trabalho ininterrupto na divulgação do espiritismo, segundo as obras básicas codificadas por Allan kardec, este Comitê e os três Coordenadores Gerais da IETB – a esta altura ajudados por um grupo de novos trabalhadores espíritas que, siatematicamente, cooperou nas diversas tarefas e coordenações de atividades doutrinárias, resolveu criar uma nova organização espírita, com novo nome, pelas seguintes razões:

    1. Descobrimos que a logo IETB já tinha outros proprietários, com marca registrada em diversos ramos comerciais e religiosos ( fábricas, associações evangélicas etc).
    2. O estatuto estava completamente ultrapassado, carecendo reformulação tão completa, que não cabia mais realizar revisões. Resolvemos criar um novo estatuto, dentro dos rigores das novas leis que regem as movimentações administrativas e financeiras no mundo digitalizado de hoje. Queríamos, também, que a administração da Casa Espírita pudesse contemplar os novos Tarefeiros com amplos espaços de ação, no âmbito doutrinário e financeiro.
    3. Com o aparecimento da nova sede (mudança para prédio maior na rua Mena Barreto 110, Botafogo), com mais amplas possibilidades de desenvolver-se atividades com maior público, com uma nova administração ( com novo regimento Interno, totalmente atualizado às novas atuações das reuniões doutrinárias e administrativas da Casa) e com os novos membros do Comitê (23 espíritas que são os primeiros Associados Efetivos), não hania mais como permanecer nas estreitas perspectivas decisórias, em que eram contempladas as decisões regidas pelo antigo estatuto da antiga IETB.
    4. Foram abertas aos novos novos adminstradores espíritas ( todos trabalhadores do bem da Casa) mais outros poderes, sempre compartilhados na decisão e no controle das finanças, que por sua vez cresceram vertiginosamente. As novas atuações doutrinárias exigiram mais treiunamentos e todas as atividades da Casa entranhadas com a ética e com o interesse de manter a Casa e a Causa bem equilibradas. Sempre dentro dos princípios legais, estatutários e doutrinários a nova administração e o corpo de coordenadores doutrinários da casa se fundiram num só modo de ser.
    5.  A IETB ficou para trás, como as pegadas deixadas na areia, depois das experiências adquiridas que não se perdem jamais.Tarefeiros, como fruto desta experiência, assim, abriu ao Movimento Espírita um maior âmbito de serviços de ajuda ao próximo.

ESTATUTO

O Centro Espírita Tarefeiros do Bem Tarefeiros - TAREFEIROS – teve seu estatuto registrado no cadastro geral da pessoa jurídica como “organização religiosa” (regida pelas leis fiscais das organizações sem fins lucrativos), CNPJ Nº 17.027.406/0001-60 de 17/10/2012. Aprovada pela Instrução Normativa RFB nº 1183 de 19 de agosto de 2011, conforme informação no site http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoajuridica/cnpj/cnpjreva/cnpjreva_solicitacao.asp

 

Os níveis decisórios de Tarefeiros estão assim constituídos no estatuto:

 

FUNDADORES:

JULIO CESAR DE SÁ RORIZ

ANA TEREZA CAMASMIE

GILKA DE SÁ RORIZ

ANGELA PIERINA SADDY

 

COMITÊ:

ADILSON FERREIRA GOMES

ANA MARIA AMORIM BARBOSA

ANA TEREZA CAMASMIE

ANGELA MARIA ROSA ABREU

ANGELA PIERINA SADDY

CARMEM PORTO FALCÃO

DARCILENE GUIMARÃES LOPES DA SILVA

DENISE VALENTE MARINS MACEDO DE AZEVEDO

GILKA DE SÁ RORIZ

ILIANA DE CARVALHO QUELHAS

JOSE ROBERTO DE ARAUJO GONÇALVES

JULIO CESAR DE SÁ RORIZ

LISÂNIA CARVALHO SILVA GIORGIO

LUCIA ALVES CROCCIA

LUIZ ALBERTO ALBUQUERQUE DE CARVALHO

MARIA ARLETTE SADDY

MARIA JULIA DA SILVA LEÇA

MARIA NAUSTRIA DE ALBUQUERQUE

MARLY DE PAULA FERREIRA

NEIDE MOSCATEL

REGIANE DE OLIVEIRA CARDOSO

REGINA CÉLIA DUARTE GONÇALVES

ROBERTO SALINAS DE CASTRO


 

COORDENADORIA FISCAL

 

ANGELA PIERINA SADDY

MARIA JULIA DA SILVA LEÇA

LUIZ ALBERTO ALBUQUERQUE DE CARVALHO

 

 

COORDENADORES GERAIS DE ATIVIDADES EM TAREFEIROS

 

ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS: ANGELA MARIA ROSA ABREU

DOUTRINA: ADILSON FERREIRA GOMES

TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO: ANA TEREZA CAMASMIE

MEDIUNIDADE: JULIO CESAR DE SÁ RORIZ

Obs.: Cada uma dessas Cordenadorias Gerais supervisiona várias pequenas coordenadorias, cada uma delas tendo sempre três coordenadores ( 1 responsável pela atividade; 1 substituto/codjuvante; 1 responsável pela administração e finanças das unidades).

 

 

Atividades Doutrinárias semanais

São atividades doutrinárias que abrem suas portas ao público para a divulgação do espiritismo e à sua prática, no sentido da caridade, de acordo com as obras básicas do espiritismo codificadas por Allan kardec:

1)    Reuniões Públicas ( com passe espírita, água fluidificada e AF);

2)    Reuniões de estudo sistematizado de doutrina espírita (ESDE);

3)    Reuniões de autoconhecimento;

4)    Reuniões de treinamento de Atendedores Fraternos;

5)    Reuniões mediúnicas ( reunião de estudos de temas da mediunidade, reunião de desenvolvimento mediúnico, reunião de socorro espiritual, reunião de desobsessão);

6)    Reuniões de cuidado espiritual ( com SC, passe espírita, água fluidificada, atendimento espiritual, AF);

7)    Reuniões de serviço ( RP, passe espírita e àgua fluidificada, oficinas de arte, SC, canto , AE e AF);

8)    Reuniões de treinamento de Coordenadores de Sala de Conversa ( com supervisão dos atendedores em ação);

9)    Reuniões de salas de conversa;

10) Reuniões de sala Jovem, sala Pais e sala Criança (evangelização espírita).

 

São atividades sempre gratuitas, como todas as atividades doutirnárias e administrativas desenvolvidos pelos membros da organização de Tarefeiros. As atividades doutrinárias de cuidado espiritual, reuniões públicas e do ESDE, além de outras mais, são portas de entrada da Casa Espírita.

Há as ações cotidianas de controle e de administração, seja referentes ao imóvel ou a secretaria executiva, tesouraria, recepção do prédio. Há equipes de arrecadações, de acordo com a organização administrativa e legal. Isto inclui a elaboração das reuniões estatutárias da organização sem fins lucrativos. Podemos incluir, também, a atuação, em nível de consultoria gratuita, a nossa advogada atual, coordenadora jurídica e advogada Dra. Mariângela Polastri de Castro, foi quem orientou todas as medidas legais que precisavam ser tomadas para a realização do estatuto de Tarefeiro e de suas Atas de reuniões administrativas, etc.. Entre outras atividades, há o controle e o funcionamento da biblioteca, recepção, tesouraria, eventos, patrimònio, et.
 
 

Os associados de Tarefeiros: categorias.

 

De acordo com o cap. III do estatuto de Tarefeiros, temos as seguintes categorias de Associados:

 

I-             Associados efetivos

 

II-            Associados Cooperadores Voluntários

 

III-           Associados Contribuintes

 

Obs: há a possiblidade de qualquer pessoa, associada ou não, oferecer doações esporádicas ou não, para ajudar na manutenção da Casa Espírita. Conforme a lei vigente no país, há a necessidade de especificar o CPF do doador.

 

III -    Os associados Contribuintes são pessoas físicas, maiores de dezoito anos ou emancipados, que são aceitos como tal, após admissão, que é indicada pelo coordenador geral de administração e finanças de Tarefeiros e homologada por maioria simples do Comitê. Os associados contribuintes de Tarefeiros ao se associarem, objetivam auxiliar Tarefeiros a viabilizar a consecução de seus objetivos estatutários e regimentais. Devem manter suas mensalidades em dia, aceitando o estatuto e regimento de Tarefeiros. Os associados desta categoria podem ser aceitos na categoria acima ( fazer parte do quadro de associados colaboradores voluntários ), depois de 1 ( um ano) de contribuição, se obter aprovação de seu nome nas citadas reuniões do Comitê.

 

II –     Os associados cooperadores voluntários são pessoas físicas, maiores de dezoito anos ou emancipadas, que sendo asociados contribuintes por mais de um ano, dedicam-se à instituição Tarefeiros e são indicados pelo coordenador geral de administração e finanças, aprovados pelo Comitê, podendo ingressar no quadro e Associado Efetivo, o que significa, nesta última condição de associado, poderem entrar para o Comitê, desde que, ao final, seja homologado pelos Fundadores.

 

I         Os associados efetivos são os que, por Ata  Inaugural e de acordo com o que reza o estatuto, são considerados Fundadores e também os outros Tarefeiros, que constituem o primeiro Comitê estabelecido. Este quadro de associados denominado de Associados Efetivos só é acessado para complementação de seu quadro, quando  existirem vagas e os candidatos deverão ser espíritas, associados Cooperadores voluntários, indicados e votados no Comitê e homologados por Fundadores de Tarefeiros.

 

Obs. Todas estas categorias de associados contribuirão mensalmente com a quantia mínima estipulada em reunião da Coordenadoria Geral de Admnistração e Finanças, podendo o associado contribuir com valor superior.

 

 

Fontes de recursos de Tarefeiros

 

Doações e contribuições dos trabalhadores que são Associados serão sempre utilizadas para uso exclusivo de pagamento das despesas referentes à manutenção da Casa.

 


UNIFICAÇÂO


Tarefeiros é uma organização espírita que, do mesmo modo que a IETB, procura estar inserido no Movimento de Unificação, com um representante que dela participa, buscando colaborar e colher da Unificação 5ºCEU/CEERJ todas as informações atualizadas do Movimento Espírita e, também, colaborar na medida do possível.  



ALGUMAS REALIZAÇÕES CULTURAIS, SOCIAIS, EDUCATIVAS E DOUTRINÁRIAS

A ideia, e por que não dizer o sonho, daquele pequeno grupo emprendedor de 1997, alcançou novos patamares de realizações na seara espírita. O TAREFEIROS, portanto, foi projetado para possibilitar voos mais altos.

Nesses 15 anos, uma série de experiências foram sendo adquiridas, principalmente, nos campos da educação espiritual, da cultura e do cuidado espiritual. 


Os Encontros de Autoconhecimento, Treinamentos de coordenadores e os Mergulhos


Baseado na questão 919 de O Livro dos Espíritos, a IETB desenvolveu Jornadas semestrais de Autoconhecimento. Alem disso, capacitou inúmeros espíritas para as funções de direção de Salas de Conversa, Atendimento Fraterno, Expositores Espíoritas e para a aplicação do Passe Espírita.


Conheça a galeria de fotos IETB - TAREFEIROS


Com esta base sólida, o TAREFEIROS iniciará
        suas atividades a partir de 2013!

Site Map